O Empoderamento da Mulher: Estudo de Caso da Campanha da Marca Skol "Esqueci o não em Casa"

Escrito por Carolina Castellani Barboza Marques. Publicado em PesquisaPP

Desde o surgimento do modelo capitalista na sociedade, os indivíduos são levados ao consumo ao serem persuadidos pelos meios de comunicação.

Com o crescimento da Indústria Cultural, a propaganda assumiu com força total o papel de articular e convencer sobre produtos e ideias, formando nichos de mercado. Um dos maiores nichos de mercado é o nicho masculino, o qual entre muitos produtos, elenca na quarta posição a bebida como a mais consumida no mundo, sendo que no Brasil a cerveja é a mais consumida. Fator primordial que contribuiu para esse grande sucesso nacional foram suas campanhas que sempre utilizaram a imagem da mulher como isca para seduzir o consumidor do sexo masculino. No ano de 2015, a marca de cerveja SKOL intitulou uma de suas campanhas de carnaval como “Esqueci o não em casa”. Tal posicionamento da marca causou revolta em diversos movimentos feministas que se estenderam para as redes sociais, acarretando a retirada da campanha do ar e uma reformulação do conceito. A indignação se espalhou à medida em que duas mulheres se posicionaram contra a campanha, argumentando que além de carregar cunho machista nas frases-chave, a campanha em questão estimula o crescimento no índice de estupros, que já é bastante elevado durante o período de carnaval. O trabalho tem foco no estudo de caso da campanha, utilizando-se de uma pesquisa para abordar a percepção de mulheres da UNAERP - Universidade de Ribeirão Preto. O trabalho busca também analisar o machismo na sociedade de forma ampla, muito além da representação adquirida na mídia, tendo em vista esta como uma reprodutora do contexto urbano e social que pode atuar tanto de forma negativa - quando reforça estereótipos de corpo e gêneros – quanto de forma positiva - empoderando mulheres. O empoderamento tem grande espaço neste trabalho por mostrar às mulheres um viés diferente daquele que é tido como padrão social, pois empoderar carrega consigo justamente a grande responsabilidade de romper padrões femininos. São abordados também os reflexos da publicidade dentro deste contexto, e suas formas de opressão. Por fim, a conclusão deste trabalho visa atingir objetivos muito além da análise de campo, mas também discutir e contribuir para a transformação da visão social acerca do papel da mulher visando promover a equidade entre os gêneros.

Orientador(a): Prof. Me. Renato Márcio Martins de Campos

Aluno(s): GABRIELLA DELFANTE DE SOUZA, LARA EVANGELISTA FERNANDES, MARIANA MONTELS TREVISANI