Índice de animais abandonados aumenta na cidade

Em Ribeirão Preto o índice de abandono de animais aumenta a cada dia. De acordo com a Ong Internacional WSPA, World Society for the Protection of Animals, calcula-se que em Ribeirão Preto, que possui uma população de 600 mil habitantes, existe em média 40 mil cães e gatos domiciliados, 140 mil semi domiciliados e 20 mil em completo abandono.

Leia mais...

Corrida de rua: A opção para correr contra a falta de tempo

 Além de trazer benefícios para a saúde, a corrida vem se destacando por ser suficientemente prática para quem tem pouco tempo

Atualmente, a falta de tempo é um dos maiores problemas da sociedade. Com tantas tarefas, torna-se quase impossível cuidar da saúde. Uma das poucas saídas para a correria do dia a dia é justamente essa: correr. Em crescimento no Brasil, caminhada e corrida de rua, juntas, são praticadas por 57% da população que realiza algum esporte – o que representa 32% do total de brasileiros –, número que ultrapassa os 48% do badalado futebol, segundo o Ibope 2011.

Leia mais...

Permacultura, uma nova forma de olhar o mundo

Desenvolvida na década de 70 pelos australianos Bill Mollison e David Holmgrenex, a permacultura nasceu como uma alternativa para substituir as plantações de trigo e soja, monoculturas responsáveis por problemas como a degradação do solo e o desmatamento mundial. Foi assim, buscando os princípios de uma agricultura permanente, que o conceito se expandiu para uma cultura permanente. Passou também a envolver aspectos éticos, socioeconômicos e ambientais.

Leia mais...

Movimento artístico toma as ruas brasileiras

A possibilidade de grafitar sem ser pego pela polícia nunca foi tão grande. Após a lei sancionada pela presidente Dilma Rousseff, em 2011, que descriminaliza o grafite e proíbe a venda de spray para menores de 18 anos em território nacional, grafiteiros só precisam da permissão do dono para colorir o cinza da arquitetura urbana.

Leia mais...

Bolachões descolados

Mesmo usando a tecnologia do século passado, os discos de vinil ainda encontram mercado entre os colecionadores aficionados gerando uma nova procura pelo produto.

Na década de 90 o mercado dos discos de vinil entrou em franca decadência, devido a popularização do compactdisc, ou CD; e muitos até proclamaram a sua morte precoce. Hoje, porém, os velhos “Bolachões”, como são conhecidos, renascem das cinzas e ganham novos admiradores, muitos deles nascidos na era do CD, dando fôlego ainda a este velho de guerra entre as mídias musicais.

Leia mais...